Olá!

É sempre bom sair da zona de conforto, mas e se você pudesse fazer isso sem precisar sair da sua zona de conforto? Sim, a frase ficou estranha, mas é isso mesmo. E logo abaixo eu explico, mas posso adiantar que esta experiência foi melhor que a anterior. Confira a resenha de Por Favor, Cuide da Mamãe.
SKOOB - Por Favor, Cuide da Mamãe é o romance da sul-coreana Kyung-Sook Shin e conta a história de Park So-nyo, de 69 anos e moradora de uma cidadezinha do interior da Coreia. Um certo dia, ela e o marido pegaram o trem rumo a Seul para comemorar o aniversário dele - e o dela também, já que as datas são próximas. Só que, na estação, o casal se desencontra e ela acaba desaparecendo.

No desespero de encontrar a mãe, os filhos colocam cartazes por toda a cidade. Os dias vão passando e nenhum notícia de Park So-nyo. Nesse meio tempo, os filhos começam a vasculhar a mente em busca de lembranças.

A mãe fazia de tudo para que seus cinco filhos se tornassem alguém na vida. Hyong-chol, o primogênito, sempre quis ser promotor público, por exemplo. Já a terceira filha, Chi-hon, é escritora e vive viajando pelo mundo, por isso diz não ter nada para lembrar da mãe. Mas é claro que isso não é verdade.

Li esse livro lá pelos idos de 2009 (ou 2010? Fica o questionamento...), mas a história ficou guardada no meu coração; nunca me esqueci da delicadeza com que a autora narra a trama, mesmo em terceira pessoa. Os personagens contam a história como se estivesse conversando com o leitor, tamanha intimidade na escrita.
Uma coisa que me chamou a atenção foi que todos os personagens - sem exceção - que tinham uma convivência com a Park So-nyo a tratavam por Mãe, ao passo que seus filhos a chamavam de Mamãe. Para que vocês vejam como o povo coreano é fiel às suas raízes acerca de educação e família - isso também é visto em doramas. O livro fala muito sobre arrependimento, perdão, amor e a autora delineou a obra de tal modo que você visualiza tudo, como se estivesse vendo um filme.

Outra coisa que me chamou a atenção foi na capa, o rosário de pau-rosa, encontrado somente no menor país do mundo e que foi bem representado na capa. Uma metáfora perfeita para o conceito de mãe e filha.

Quando tive a oportunidade de reler, me emocionei porque ele nos faz pensar em como tratamos nossa mãe. E muitas vezes me vi nos filhos da Park So-nyo, isso porque, assim como eles, não tenho facilidade em demonstrar meus sentimentos. Eu amo minha mãe, mas não saio anunciando por aí, deixo isso subentendido.
A obra também mostra como tem coisa boa na literatura oriental, mas que chega a conta-gotas para nós do Ocidente. Como a Coreia não vive só de dorama e k-pop (graças a Deus), foi publicado originalmente em 2008, mas só chegou no Brasil em 2012, pela Intrínseca, no mesmo ano em que foi agraciado com o prêmio Man de Literatura Asiática - foi a primeira mulher a ganhar tal honraria. Além disso, tem muita informação bacana sobre o país.

Esse livro é uma ferramenta que nos ensina sobre família, amor, perdão e poder reler foi uma grata surpresa, pois compreendi melhor a mensagem hoje do que quando li da outra vez. Ah, lembra que, no início do post eu falei sobre sair da zona de conforto sem sair dela? Pois então, isso me aconteceu quando li este livro, pois, até o momento, só li dois autores asiáticos: Kyong-Sook Shin e o Khaled Hosseini. E ela é a única autora coreana que conheço. Se você conhecer mais nomes, por favor, deixe nos comentários.



31 Comentários

  1. Olá!
    Recentemente, também tive oportunidade de ler um livro de autora coreana e, nossa, como elas escrevem bem! Adorei sua resenha e já anotei a dica! Acho que, infelizmente, muitas pessoas só dão valor aos pais quando os perdem, e isso é horrível! Histórias como essa deveriam ser lidas por todos.
    Bjss

    ResponderExcluir
  2. Olá! Que delícia essa história! Amo tramas fortes, com conceitos sobre família, amor e perdão. Eu ainda não li nada de autores asiáticos (não que eu me lembre), mas fiquei super curiosa por esse livro! E sim, sair da zona de conforto é muito importante. Ao contrário do que você conta, eu tenho facilidade em declarar expressamente meu amor à minha mãe, faço isso praticamente todos os dias. Parabéns pela resenha.
    Beijos!
    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Adorei! Adoro essas novidades e experiências diferentes. Nunca tive muito contato com a literatura oriental e fiquei bem curiosa. VOu anotar a dica!

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Olá! Eu tenho esse livro na lista. Logo que vi a sinopse já gostei.
    Mas nunca li nenhum livro escrito por autores asiatísticos.
    Mas esse livro deve ser lindo, vou ver se compro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Uau!!!
    Ainda não conhecia esse livro, porém sua resenha me deixou extremamente curiosa e ansiosa para lê-lo e descobrir esse mistério todo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi, Kamila.
    Tenho esse livro na minha estante há uns dois anos, eu acho. Rs... Lembro que comprei porque gostei da sinopse, mas lá está ele sem ler ainda. Sua resenha é ótima e me deu um up pra pegar logo esse livro.

    Adorei!!
    =D

    ResponderExcluir
  7. Olá linda,

    Eu tive umas duas experiências com escritores do Oriente e fui agraciada com leituras maravilhosas e reflexivas que arrancaram lágrimas dos meus olhos.
    Esse parece ser um livro que nos emociona com facilidade.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. O livro me conquistou no momento que disse que era coreano xD Adoro a cultura oriental, e a premissa do livro parece muito interessante. Realmente, a obra oriental pouco chega aqui no ocidente (claro, com as exceções de mangás, animes, doramas, filmes... mas livro mesmo, vemos poucos). Já vai entrar em minha lista de futuras leituras.
    Gostei bastante da resenha!
    Abraços s2

    http://ultimasfolhasdooutono.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá
    Eu não sabia da existência dessa obra, mas quando vi a capa e titulo já me apaixonei kk. Li sua resenha e tirei as duvidas que tinha (algumas). Enfim, a obra aprece ser incrível e espero ter a chance de lê-la em breve. Até mais ver
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Olá
    Já faz uns dois anos que quero ler esse livro, ele parece ser muito lindo, e quando li em algum lugar que a própria Mãe tem seus momentos de não saber quem ela é que não seja Mãe, decide que esse é um livro que preciso ler um dia.
    Realmente é difícil ver livros orientais por aqui, já alguns como Mishima, Murakami, já li um chinês, mas coreano ainda não tive o prazer.

    ResponderExcluir
  11. A Intrínseca é muito boa em publicar histórias que irão nos surpreender e um pouco fora do comum, um dos livro da editora que li que era bem diferente do meu gênero de leitura que gostei e favoritei foi o O QUE TE FAZ PULAR. Esse ano estou lendo também vários livros que estão totalmente fora da minha zona de conforto, desde romances de época até livro de autoajuda.

    memoriasdeumaleitora.com.br

    ResponderExcluir
  12. Que resenha linda!
    Estou completamente curiosa agora! Já adicionei à minha lista!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  13. Não curto mt literatura oriental, mas não posso negar que essa capa é maravilhosa!
    Não conhecia a obra e ser apresentada a um pouco dela foi bem estimulante, mesmo não sendo minha praia me senti instigada a buscar a leitura e encontrar nela também toda essa delicadeza que mencionou. Dica anotada.

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  14. Olá Kamila,
    Ainda não conhecia esse título e, mesmo não curtindo literatura oriental, achei a premissa do livro maravilhosa e fiquei bastante curiosa para ler e saber o que vou sentir. Acho muito bonito esse pensamento de avaliarmos como cuidamos de nossas mães.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oi!!


    Nunca li nada de autor coreano, mas gostei da sua dica e do fato de acompanhar um pouco a cultura desse povo tão diferente e rica. VOu anotar esse livro e com certeza vou ler. Muito obrigada pela dica. Beijos!

    ResponderExcluir
  16. nunca li nada de coreano, mas uma amiga já tinha me falado desse livro é quanto ele é maravilhoso, sua resenha querer dar ainda mais um chance para obra. Obrigada!

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem?
    Ai adorei sua resenha ♥ Nunca li nada coreano também, mas fiquei muito curiosa em realizar a leitura deste.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  18. Nossa que bacana.
    Amo sair da zono de conforto e não lembro se já li alg da literatura oriental a não ser filmes, animes poucos pq não curto muito.
    Valeu pela dica!
    Bjs

    ResponderExcluir
  19. Oi Ka!Eu sei que esse livro está nos meus desejados há um tempo, se não no skoob, eu anotei mentalmente haha. Tenho muita vontade de conhecer a literatura oriental. É um projeto que estou pensando em fazer, literatura pelo mundo, saindo do foco da norte americana. Enfim, é um tema bem tocante, especialmente tão próximo do dia das mães. Eu falo o tempo todo que amo minha maezinha haha, sou muito grudado com ela. Sei que vou me emocionar lendo esse livro. Beijos.

    ResponderExcluir
  20. Boa noite
    Até hj só li um livro q falava sobre a cultura asiática, xogun - James Clavell, um prato cheio sobre os costumes do Japão!! Esse livro parece passar uma mensagem bem bonita sobre o relacionamento de uma mãe com seus filhos. É como se fôssemos conehcendo a protagonista pelo ponto de vista dos filhos. Realmente interessante, parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  21. Oi, Ka!
    Eu amei essa dica, perfeita para o dia das mães. Além.disso, o livro parece lindo. Só pela forma carinhosa com que falou dele, eu me interessei <3 espero ter a chance de ler.

    ResponderExcluir
  22. Realmente, relações familiares são bem diferentes no oriente até na forma de se tratar. Não sei se eu leria porque não faz muito meu estilo, talvez para sair da minha zona de conforto, assim como você

    ResponderExcluir
  23. Olá!

    Muito bacana ler livros diferentes como esse. Parece ser uma boa história para refletir. Faz tempo que não saio da zona de conforto.
    A resenha está ótima!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  24. Olá! Amo suas dicas, sempre com novidades. Gostei demais da premissa! Fiquei curiosa para saber o que aconteceu com a mãe deles e a relação da história com o título. Pelo teor de sua resenha, parece ser uma história emocionante, acho que irei chorar rsrsrs Beijos!

    ResponderExcluir
  25. Oi Ka, tudo bem???
    Super legal isso ein... ler um livro há um tempo e relê-lo em outro momento... assim a compreensão vem melhor e a gente percebe os detalhes... adorei a dica que você trouxe. Eu particularmente não li nada neste estilo e com essa escrita peculiar, mas fiquei bem curiosa. A capa também é bem bonitinha. Xero!

    ResponderExcluir
  26. Parece mesmo ser uma leitura belíssima! Também não costumo ficar alardeando sentimentos por aí, sobre ninguém, para ninguém. E isso já me trouxe alguns problemas em relacionamentos, além daquela dúvida insistente e idiota... "será que eu disse o suficiente enquanto ele vivia?". Bem, dos autores orientais, conheci alguns japoneses e gostei bastante. Eles tem delicadeza para descrever. Coreana é a primeira indicação e guardarei com carinho. Obrigada!

    ResponderExcluir
  27. Que livro encantador! Nada melhor que ler no mês das mães, fiquei curioso em ler, pois nunca li um livro oriental e sei que vai ser extraordinário. Pela sua resenha, você gostou e muito. Já vou anotar sua dica para uma futura leitura, nem que seja por ebook.

    ResponderExcluir
  28. Olá Kamila,
    Já li inúmeros elogios para essa obra, mas não animo muito de lê-la. Acho que não é o momento certo para eu ler, sabe?
    Fico contente que a leitura tenha te agradado. Essa história me lembrou uma história que tínhamos em Malhação, com uma "mãezona". Vou indicar esse livro para uma amiga.
    Beijos

    ResponderExcluir
  29. Olá Kamilla!!!
    Eu já li uma resenha sobre esse livro e sim já tinha uma certa curiosidade sobre ele, já lendo sua resenha fiquei um tanto mais curiosa e realmente tenho que concordar que não sabemos como tratar nossas mães e até diria nossos pais pois muitas vezes não conseguimos demostrar o quão importantes eles são.
    A capa é muito interessante e chama bastante atenção.
    Parabéns pela resenha ^^

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  30. Não conhecia este livro, me interessei muito. Fiquei curiosa sobre o desaparecimento e o que aconteceu depois, especialmente com os filhos. Adorei a resenha.
    Agora sobre seu pedido vou te indicar duas obras que eu amo de paixão: Han Kang, com o livro A Vegetariana e o Krys Lee com casa à deriva. O segundo, é uma leitura especialmente difícil. São contos com diversos temas mas todos pesados.

    ResponderExcluir
  31. Oii, tudo bom?

    Vou deixar esse livro na minha listinha, pois me interessei muito. E espero que encontrem a mãe. Adoro esses livros que nos fazem pensar e até agradecer por ter nossa família do lado!

    Beijos

    ResponderExcluir

Olá!!

Fortaleça este humilde blog, deixe seu comentário e seu link para eu retribuir sua visita!

Se quiser, entre em contato através do email resenhaeoutrascoisas@gmail.com :)